quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

O Funeral

Acordei cedo de manhã, como num relógio mental, e como sempre, os mesmos sonhos e pesadelos. Vou ao banheiro e olho no espelho um rosto cansado e comum, agora suado e lavo minhas mãos, esfregando-as no meu rosto que continua com a mesma expressão.

Uma linha de sol que saí da janela da cozinha pode ser a única luz que permanece presente. Meus olhos cansados, agora seguem na escuridão, e minhas mãos abrem a janela que agora, ilumina meu rosto e metade de minha cozinha, sento num canto da parede aonde ainda habita parte de uma escuridão e minha vida passa em alguns segundos de olhos fechados, que parecem não enxergar mais a realidade.
Uma luz preguiçosa aparece na memória, e num campo largo vejo uma arvore grande, que sozinha, parecia cheia de vida e do seu lado, uma mulher sentada, linda que posso ouvir suas risadas vagarosamente, junto a uma criança que com seus olhos grandes e cheios de luz, lembravam aos da mulher ali presente. Avistando-me, dão um sorriso para mim, e eu posso entender os lábios carnudos de minha mulher pronunciar “Eu te amo!”. E aquela imagem vai se afastando, afastando, até o ponto de toda a alegria do lugar virar uma mansidão em preto, que de um sorriso antes, agora um grito agonizante feminino e choros de uma criança ecoam na minha cabeça. Meus olhos se abrem e cheios de lágrima, e um desesperado medo agora são visíveis em minha face, agora com a luz do sol. Minha respiração forte vai se acalmando e minhas mão agora tremem menos.
Mas ainda estou vivo, meu coração ainda parece estar batendo.
................................................... João Victor Elias

Coração Vendado


Quando fechamos os olhos,
Relembramos aquela sensação
Mas você não esta agora aqui
Quero sentir seus lábios de novo
Minha imaginação não faz o gosto do amor

Por favor, me rendi ao seu coração
O meu está fraco demais para lhe demonstrar
Que realmente, no fim de toda minha dor
Você continua no trono em que construí

Meus olhos não podem enxergar as conseqüências
Você os vendou e nem percebeu, que só enxergava você
Quero sentir de novo o sabor do seu amor
Junto à dor que passei para chegar onde agora
Esta você

Olha em sua volta e sinta o novo cheiro que lhe trouxe
Sinta minha mente, ligada ao seu coração,
Agora feche os olhos, e mostre para mim, realmente...
O que é o amor.

................................................. João Victor Elias