segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Lembranças

Em cada um de nós, há uma velha lembrança, que pode marcar nossa vida. Feliz, Feliz e confusa, triste. Algo que nos toca e nos inspira, pelo qual podemos sorrir sem temer, algo que nos faz olhar para o céu, e ver o sol radiando, ou mesmo as nuvens negras, que pode parecer assustadora, mas não passa de uma pequena tempestade passageira, que pode abalar algumas pessoas.

Essas gotas surdas que caem da minha janela, é algo que me fascina tanto, essas folhas molhadas, que parecem estar mortas, mas na verdade, esta ganhando mais vida.
Para muitas pessoas, as nossas perdas nos fazem cair tanto, como se não tivesse mais nada que possa nos salvar. Com o tempo, percebemos que temos tanto tempo, mais esse tempo, é tão curto, e já não se sabe de que forma interpretar esse tempo.
A Chuva engrossa, junto aos meus pensamentos. E agora, posso abrir toda a cortina, e ver o quanto a água desce sem destino, pois o vento, pode empurrar, mudando-as de direção. Abrindo a janela, sinto o ar ficar mais frio, e posso ouvir as gotas, que caem, e também sentir o cheiro das folhas molhadas. É tão lindo a melodia que juntas formam, e tão despercebido, que talvez, podem estar chorando, ou tão alegre, que podem estar brincando. Mais será que podem saber o que estou sentindo?, será que podem ouvir minha respiração?
E agora, posso ouvir o barulho dos pássaros que acabaram de aparecer. Eles voam tão rápido, e com meus olhos, tento os ver lentamente, as gotas fracas agora, e pingam neles quando batem as azas, e pegam mais velocidade. Os pássaros com muita energia e voando, enquanto meus cachorros querem ficar no meu colo, e ouvindo o barulho das teclas batendo. Elas se encolhem tanto, tão com muito frio, pois a janela permanece aberta. Estou me recuperando aos poucos, e percebendo que não vai mudar muito, apenas vão se tornarem mais lembranças.

.............................. João Victor Elias